De maneira nenhuma jureis

 

Jesus

 

Jesus Nazareno, com a sua lucidez diferenciada, identificava com precisão os equívocos do Velho Testamento. Por exemplo:

Outrossim, ouvistes que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás teus juramentos ao Senhor. Eu, porém, vos digo que, de maneira nenhuma, jureis nem pelo céu, porque é o trono de Deus, nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés, nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei, nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna. (Mateus 5:33-37)

Se algum leitor não captou o que Jesus havia dito, eu sinto muito. Era assim que Jesus lia o Velho Testamento, sem generalizar e sempre revelando onde estavam os equívocos. E não como fazem ainda hoje, aceitando tudo como correto e verdadeiro. Dessa maneira, a ignorância e a estupidez permanecem entre nós. Mesmo assim, os versículos ainda contêm o ranço religioso dos escribas, como sempre.

A mente humana linear é quem generaliza, porque não tem lucidez, nem capacidade, apesar de se achar soberbamente mais esclarecida que todo mundo e dona da verdade.

Sempre acha arrogantemente que sabe mais que os outros, porém é ignorante e estúpida. Observe, inclusive a você mesmo, espiritualista ou materialista que tem cursos “superiores”, ou não.

Foi por causa dos votos ao “Senhor” que Jefté, filho de Gileade com uma prostituta, ofereceu sua única filha (primogênita) em holocausto, e o “deus” personificado de Moisés aceitou a oferenda (Juízes 11:30-40). Ou seja, procedência maligna.

Isto não soa bastante suspeito? Além do mais, sugere que os primogênitos sacrificados não eram somente do sexo masculino. Inclusive, eram filhos de supostos “pecadores”.

Dessa forma, os pais eram encorajados a entregarem seus filhos primogênitos para o manjar dos “deuses”, porque havia um motivo considerado “justo” para isso.

O pai da mentira dominava a arte da mentira. Mas tentaram ocultar da humanidade os rituais macabros da Bíblia, promovidos por aqueles seres sinistros.

Lembrando que Jesus disse: “de maneira nenhuma jureis”. Ou seja, em outras palavras, faça diferente do que ensina o Velho Testamento.

A mente dual condicionada e duvidosa diz sempre “sim e não”, ao mesmo tempo. Não há certeza nem garantia e não cumpre com o que promete. Como disse também o filósofo Nietzsche: “Promete e não cumpre”. Ele sabia o que estava falando, do contrário não seria um excelente filólogo. O mais eficiente, depois de Jesus.

Por sua vez, a lucidez da Vida real interior, nossa verdadeira Identidade, é sempre transparente e justa, ou seja, “sim, sim”, ou então “não, não” (sem dualidade). Não tem injustiça, nem engano ou falsidade. Sem teorias intelectuais enganosas, como também sugeriu Jesus.

Por exemplo, outro dia, eu li um artigo na internet, baseado na Bíblia, citando somente Mateus 5:33. Ou seja, aprovando o que Jesus havia reprovado, omitindo os demais versículos complementares, que vão até o 37. Esta é uma questão bastante delicada.

Dessa forma, eles vão enganando os leigos, com suas costumeiras “boas intenções” em “salvar” a humanidade. Pesquise também na internet e confira o que eu estou dizendo.

O fantasioso nega a verdade para si mesmo; o mentiroso apenas para os outros. (Nietzsche)

Ao citar um ou mais versículos bíblicos, primeiro é necessário conferir o que está escrito antes e depois, para não haver equívocos e não engar o leitor. Isso se chama transparência, justiça e honestidade.

Quem engana sempre é a mente linear, por mais “sincera” que ela seja, devido a seu estado atual de inconsciência. Além disso, faz coisas ainda mais “catastróficas”, com muito “boa intenção”, apoiada pela Bíblia e pela sua fé religiosa.

Leia mais…

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!