Os seres biológicos em busca de prazer

 

Busca de prazer

 

Vamos verificar o significado das palavras destes versículos bíblicos descritos abaixo. Mas, por favor, preste atenção no significado de cada palavra, porque diz respeito ao conteúdo do livro do princípio ao fim.

Eu deixei este conteúdo para o final do primeiro capítulo porque eu o acho um tanto complexo.

As palavras descritas no primeiro versículo abaixo foram direcionadas aos seres humanos da época de Jesus. Nesse caso, dizem respeito a nossa época também, caso tenhamos herdado um falso ensinamento através da Bíblia. Mesmo que hoje não sejamos religiosos, porém fomos influenciados.

Enquanto isso, deixe de lado o preconceito contra a palavra “diabo”, se houver, porque eu apenas demonstro os seres biológicos em busca de prazer, que visitavam o planeta Terra e corromperam a humanidade. Portanto, não me refiro a seres imaginários.

Aquele que eu prefiro chamar de maligno biológico, segundo a Bíblia, era também o Verbo criador, mas não se firmou na verdade e encontra-se “preso” no labirinto da mente dualista (inconsciente). Exemplo:

Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. (João 8:44)

No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens; e a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. (João 1:1-5)

Observe que o Verbo criador foi descrito no pretérito perfeito do indicativo (passado). No Verbo estava a Vida que era a luz dos homens. Tudo o que é, de fato, ficou aparentemente para trás (inconsciente).

Quanto ao termo “Deus”, fez parte da doutrina rudimentar e provisória de Jesus, devido à ignorância do povo daquela época. Fazia parte dos estágios de iniciação, e depois era abolido, quando cada indivíduo já estava pronto para a novidade, conforme consta em Hebreus 6:1-2. O versículo 3 serve como “pedra de tropeço”, o que explicarei mais adiante.

Tal ser também estava no princípio como Verbo criador de paraísos universais. Nele estava a Vida, que “era” a luz (lucidez) de todos nós. Mas por que ele era e não é mais a luz dos homens? Porque os homens, ou os seres humanos, se encontram também inconscientes como ele.

Ele se envaideceu, ambicionou ser algo a mais, e ficou inconsciente. Foi apanhado pelo sistema virtual de segurança da mente-cérebro dual (biocomputador).

Jesus já havia falado sobre o sistema de segurança da mente dual: “Quem se exalta é humilhado, quem se humilha é exaltado”. Isso significa soberba ou humildade.

A máquina mente-cérebro soberba substituiu a Vida interior. “Tomou o controle”, ou seja, a Vida está inconsciente na mente virtual. O cérebro condicionado vem comandando até agora no planeta Terra.

Apesar disso, o Verbo criador universal (a lucidez da Vida), a luz dos homens, “veio” (despertou em um indivíduo) e resplandeceu aqui e agora (resplandece), no entanto, as trevas não a compreenderam devido ao condicionamento mental (crenças convenientes).

Quanto a estes versículos exemplificados antes, caso tenhamos herdado também um conteúdo falso, oposto ao que Jesus havia ensinado, estaremos ainda, mentalmente, nas mesmas condições da época de Jesus, porque não aprendemos nem assimilamos o que ele realmente havia ensinado.

O último versículo em João 1:1-5, exemplificado, revela o local das “trevas”, onde só habitavam indivíduos inconscientes, que não alcançavam a expressão do Verbo da Vida, porque somente a mentira, o lucro financeiro e a hipocrisia lhes interessavam.

Segundo também as palavras do rei Salomão, o “Senhor” ia habitar nas trevas do planeta Terra (I Reis 8:12-21). Por isso, Salomão fez uma casa para seu suposto “deus” personificado habitar. Ou seja, este mundo é um reflexo de nossa visão equivocada da realidade.

Esse exemplo do conteúdo descrito em João 1:1-5 também se aplica a nossa época atual, caso tenhamos herdado um falso ensinamento. Se este for o caso, não adiantará tentar refutar os fatos e se justificar, porque estaríamos tentando ignorar a realidade.

Em seguida, basta perceber que a humanidade não herdou o verdadeiro ensinamento de Jesus, porém dos fariseus. Nesse caso, ao constatar que Jesus havia abolido, de fato, toda aquela pobreza (II Coríntios 3:14-17), libertamo-nos naturalmente e consequentemente do cativeiro da mente que mente. Já não precisaremos permanecer vários anos em alguma religião, tentando encontrar a resposta.

Fomos enganados por seres que se apresentaram como sendo “deuses”, cujo objetivo era explorar a humanidade. E havia seres mais esclarecidos, como Melquisedeque, semelhante a Jesus em matéria de lucidez e sabedoria, que sabiam o que estavam dizendo e ensinando. Infelizmente, seus conteúdos foram deturpados.

Leia mais…

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!