Procuravam mata-lo porque Jesus não era um religioso

 

Religioso

 

Na época de Jesus, por exemplo, os religiosos fanáticos e “sinceros” pretendiam matá-lo, porque ele não guardava o sábado. Nesse caso, eles estavam “corretos”, afinal, era a Bíblia, o Velho Testamento que mandava matar, inclusive a Jesus, ou alguém mais que não fosse religioso, ou que ensinasse algo diferente.

Hoje em dia, são proibidos, pelas leis jurídicas, de apedrejar livremente como antigamente, porém detestam aqueles que pensam diferente deles e se esforçam para serem bonzinhos e corteses. Ou seja:

Os judeus procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. (João 5:18)

Disse Jesus: Não vos deu Moisés a lei? E nenhum de vós observa a lei. Por que procuram matar-me? (João 7:19-32)

Jesus chamou ambos os religiosos de hipócritas, ao dizer que eles liam a Bíblia e não observavam o que estava escrito, embora impusessem a sua doutrina moralista rígida e impraticável, de forma obrigatória, como ainda hoje. Jesus falou apenas para se defender da acusação estúpida deles.

Jesus sempre observava, alertando que era o contrário do que estava escrito, porque aquele conteúdo antigo estava ultrapassado, por isso ele fez a reforma do Velho Testamento, abolindo o que era inútil, conforme está escrito em II Coríntios 3:14-17.

Leia mais…

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!