Uma tecnologia multidimensional

 

Tecnologia

 

Foi esta mesma tecnologia multidimensional, que Paulo conheceu e da qual experimentou seu efeito, que levou Jesus vivo, conforme está escrito:

[…] E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco, os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o viste ir. (Atos 1:9-11)

Só um lembrete. Os dois varões só estavam vestidos porque estavam visitando o planeta Terra. Só para não constranger as mentes moralistas. O pudor, nesse caso, não é deles.

Como e por que Jesus estava vivo, é um mistério que a mente humana superficial não pode alcançar. Tem a ver com tal tecnologia avançada, de outra dimensão.

Entretanto, Jesus não “morreu” pelos nossos “pecados”, como foi alegado equivocadamente e religiosamente, porém devido a nossa ignorância. Afinal, como já foi demonstrado e provado dentro da própria Bíblia, nunca existiu a suposta “expiação dos pecados”. Não passou de uma farsa. Uma estratégia psicológica para escravizar, através da religião, o povo ingênuo e ignorante.

Embora o suposto “deus” personificado de Moisés acreditasse, de fato, na existência do “pecado”, principalmente em relação ao sexo oposto. Do contrário, ele não teria preconceito contra a mulher.

Há quem diga que Jesus não “morreu”. De qualquer maneira, a Vida é atemporal e ele não estava morto, quando foi recolhido no ar.

Hoje, quem pesquisa sobre Ufologia sabe com certeza do que se trata. Uma coluna cilíndrica luminosa que tem várias utilidades (Agroglifo), conforme o propósito utilizado, que a Bíblia descreve como “coluna da nuvem”.

Por isso que os dois varões colocaram para dentro da casa e fecharam a porta. As pessoas que estavam do lado de fora, sob o ângulo da grande luz cilíndrica, foram atingidas pela intensa luminosidade que veio do alto.

Quanto à levitação de Jesus até o objeto no ar, como está descrito em Atos 1:9-11, é a ação desta mesma coluna cilíndrica de luz que elimina a gravidade, dentro de seu diâmetro circular, conforme está evidente também em Atos 22:6-11.

Resumindo: “quase ao meio-dia, de repente me rodeou uma grande luz do céu”; “os que estavam comigo viram, em verdade, a luz e se atemorizaram muito”; “eu não via por causa do esplendor daquela luz”.

Mais claro que isso, impossível. Porém, como a mente humana é virtual, prefere o imaginário, ao invés da realidade dos fatos.

Nesse caso, foi utilizado o expediente “choque de realidade”, com o intuito de intimidar e causar uma revolução na mente do fanático religioso Saulo de Tarso, não lhe deixando alternativa alguma para se justificar e defender sua crença religiosa estúpida, adquirida desde a infância.

Ele foi escolhido pelas suas qualidades, habilidades e conhecimentos da Bíblia. Embora fosse ainda fanático. Ele era parecido com aqueles que acham que já sabem de tudo e que gritam e esperneiam no palco.

Somente assim, através de um choque de realidade desse porte, um fanático religioso consegue absorver algo novo e diferente. De outro modo, não é possível. A mente do fanático é dura como um tijolo, “sabe de tudo”, não há espaço para mais nada.

No entanto, o que ele sabe não passa de teoria intelectual. Cópia de alguém. A mesma visão dos demais. Observe. A doutrina é a mesma escravidão de sempre, não importa a denominação religiosa. Além disso, um quer ser mais sabido que o outro.

Até então, Paulo era um fariseu religioso fanático, que perseguia os discípulos de Jesus, devido ao preconceito. Ele acreditava que Jesus foi um impostor, um falso profeta e a sua religião estava com a verdade. Como sempre acontece.

Ou seja, a minha religião é melhor e mais verdadeira que a sua. Grande coisa. Na verdade, ambas são equivocadas, têm apenas uma parte da verdade. Verdade e mentira ao mesmo tempo, porque a mente humana é dual e contraditória.

A diferença é que, no caso de Jesus, não se tratava de religião. Apenas parecia, porque ele havia utilizado uma estratégia de iniciação denominada “Rudimentos da doutrina de Cristo” (Hebreus 6:1-2). Algo familiar e provisório para chamar a atenção dos religiosos, que eram leigos e ignorantes, a respeito da novidade que Jesus tinha para revelar.

No decorrer da iniciação, era abolido paulatinamente os rudimentos da doutrina de Cristo, conforme está escrito e ignorado pela maioria das pessoas que examinam a Bíblia.

Conforme o apóstolo Paulo disse, ele já havia sido preparado para aquela missão, desde o ventre de sua mãe, porém não sabia ainda. Nem poderia, afinal, ele havia nascido em uma religião arcaica e fanática, a mesma que a humanidade herdou, como sendo o ensinamento de Jesus Cristo.

Assim como Melquisedeque, que era semelhante a Jesus, mudou o nome de Abraão e Sara, Jesus também trocou o nome de seus discípulos. Por isso, Saulo passou a ser chamado de Paulo.

Havia uma Cabala antiga (Numerologia), não a Cabala de hoje em dia, que virou também religião.

Quem não sabe defender uma tese está sempre defendendo a tese de outro, até que venha outra tese mais inteligente. (Ronny Roots)

Leia mais…

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!